Vyda Orion Ref Power | Audio & Cinema em Casa 270-1

Jorge Gonçalves

 

AV.Y.G.E.R. foi fundada em 1993 por Giuseppe Viola, o qual pôs em prática a sua vasta experiência na fabricação de peças mecânicas de alta precisão, sendo a primeira linha de produtos constituída por giradiscos que rapidamente conquistaram a admiração de muitos entusiastas, devido não só à sua complexidade mecânica mas também à magnificência da sua construção, que tinha em consideração aspectos matemáticos e de análise cinética. Mais tarde, em conjunto com Enrico Datti, Giuseppe desenvolveu um braço com suspensão de ar nos dois eixos e que utiliza uma pressão muito elevada no sistema pneumático.

Recentemente a V.Y.G.E.R. virou as suas atenções para os cabos, e Enrico Datti criou uma nova empresa virada exactamente para a fabricação deste tipo de acessórios, a VYDA Laboratories, a qual lançou uma linha completa de produtos de referência com tratamento altamente sofisticado em termos metalúrgicos. Aliás, a descrição da tecnologia utilizada no cabo de sector Orion Reference de que vou falar neste texto dava quase para escrever um compêndio de metalurgia: condutores maciços de cobre ultra-seleccionado de classe II (cobre de elevadíssima condutividade utilizado para transporte de correntes muito elevadas), tratado criogenicamente desde a temperatura ambiente até à do azoto líquido; configuração de blindagem no tipo semibalanceado; estrutura geométrica do tipo helicoidal optimizada em função do comprimento do cabo e com controlo de ressonância; valores de L, C e R igualmente optimizados em função do comprimento do cabo; nível eleva- do de isolamento mecânico dos cabos com recurso a materiais amorfos inelásticos e Teflon; quatro níveis de isolamento em relação a RFI/EMI com várias interposições de camadas de blindagem não magnética de cobre e alumínio; terminações não magnéticas dos pinos de contacto, banha- dos por camadas múltiplas de ródio, cada uma delas com 15 micrómetros.

(altro…)

Read More

Teste Vyda Orion | Audio & Cinema em Casa 273

Jorge Gonçalves

 

Repetindo um pouco aquilo que já disse na Audio & Cinema em Casa n.o 270, quando do teste do cabo de sector da VYDA, recordo aqui que a marca descende do fabricante italiano de gira-discos high-end V.Y.G.E.R., que virou as suas atenções para os cabos quando Enrico Datti criou uma nova empresa orientada exactamente para a fabricação deste tipo de acessórios, a VYDA Laboratories, a qual lançou uma linha completa de produtos de referência com tratamento altamente sofisticado em termos metalúrgicos.

No caso vertente vou falar de um cabo de interconexão, novamente com o nome VYDA ORION e onde se utilizam em profusão os conhecimentos de metalurgia de alta precisão adquiridos na fabricação de gira-discos: condutores maciços de cobre ultra-seleccionado de classe II (cobre de elevadíssima condutividade utilizado para transporte de correntes muito elevadas), tratado criogenicamente desde a temperatura ambiente até à do azoto líquido – cerca de 200 graus negativos; configuração de blindagem no tipo semibalanceado; estrutura geométrica do tipo helicoidal optimizada em função do com- primento do cabo e com controlo de ressonância; valores de L, C e R igualmente optimizados em função do comprimento do cabo; nível elevado de isolamento mecânico dos cabos com recurso a materiais amorfos inelásticos e Teflon; quatro níveis de isolamento em relação a RFI/EMI, com várias interposições de camadas de blindagem não magnética de cobre e alumínio; terminações não magnéticas no pino de contacto, banhado por camadas múltiplas de ródio e platina, cada uma delas com 15 micrómetros; peças metálicas de terminação e fichas RCA trabalhados directamente no torno a partir de blocos de aço inoxidável não magnético R.303.

(altro…)

Read More

VYDA ORION RCA interconnect cables review by Mono and Stereo

We want to start from the conclusion of the Mono and Stereo’s review:

So many times we hear how a cable`s job is only (!) to preserve what`s in the recording; adding nothing of its own and subtracting nothing. We use words like ‘neutral’ or ‘true to the source’ but it is only with cables like these that we discover a wealth of things in our music collection, things that we did`t expect and things that surprise us, upon first hearing and…make us redefine our viewpoints. Well, the VYDA ORION interconnects belong to this select group of ‘audio trailblazers’, components that push the limits in every conceivable direction and raise the overall standards.

upper-class“The level of constructional details and overall craftsmanship is stunning; add to that the extraordinary sound they exhibit: for all these reasons I am giving the VYDA ORION RCA interconnects the Mono And Stereo UPPER ECHELON award.”

Here is another excerpt from the review:

The VYDA ORION makes the reproduction of even the most complex musical material seem the easiest thing in the world. These interconnects never loose control, insight or show signs of strain and compression. They just make the music appear in front of the listener as it usually does in real life, with the eerily lifelike presence of all instruments and voices.

Their ability to preserve the natural tone and overall harmonic structure while sounding absolutely transparent, is probably their strongest point. Vocals in particular sounded shockingly realistic and possessed an incredible dose of humanness, with a complete lack of any mechanical artefacts that usually prevents us from completely surrendering our musical souls. With such superlative properties the emotional content of the musical message was indeed preserved intact and this was another strong point of this interconnect. With music, a ton of information is nothing without the emotion and the number of components that combine perfect objective/subjective performance while caring for the emotional content, is not that big but VYDA ORION absolutely belongs to this selected group.

The overall sense of authority and grandeur was top notch, the lower midrange and upper bass weight and definition were excellent, same could be said for the low bass extension and control. The bass not only had power but also possessed incredible differentiating abilities and was highly nuanced, resolved and retained the characteristic natural colors of various individual bass instruments.

 

Read PDF version | Read online version

Read More